24/12/2006

MEUS DIRETORES (E SEUS FILMES) PREFERIDOS

Seguindo o exemplo de alguns amigos (Edú, Carlão, Carrard) decidi fazer também uma lista com meus diretores preferidos. Vocês poderão sentir falta de um ou outro, e eu mesmo tenho certeza que deixei muitos cineastas que admiro de fora. Mas a lista representa meus gostos e preferências, e todos que estão nela tiveram grande importância na minha formação de cinéfilo e no meu amor ao cinema. Resolvi também escolher, na filmografia de cada um deles, aquele filme que, na minha opinião claro, é o melhor, o mais representativo, a obra-prima. Podem discordar à vontade hehe!









Robert Aldrich - A Morte Num Beijo

Woody Allen - Zelig

Pedro Almodóvar - Matador

Robert Altman - Imagens

Gianni Amélio - O Ladrão de Crianças

Joaquim Pedro de Andrade - Macunaima

Theo Angelopoulos - A Viagem dos Comediantes

Michelangelo Antonioni - O Passageiro – Profissão Repórter

Jack Arnold - O Incrível Homem que Encolheu

Hector Babenco - O Rei da Noite

Jacques Becker - A Um Passo da Liberdade

Marco Bellochio - De Punhos Cerrados

Ingmar Bergman - Gritos e Sussurros

Rubem Biáfora - O Quarto

Sérgio Bianchi – Maldita Coincidência

Bertrand Blier - A Filha de Minha Mulher

Budd Boetticher - Paixão de Toureiro

Mauro Bolognini - A Longa Noite de Loucuras

John Boorman - À Queima-Roupa

Beto Brant - Crime Delicado

Júlio Bressane - Cara a Cara

Robert Bresson - Pickpocket

Richard Brooks - Entre Deus e o Pecado

Tod Browning – Monstros

Luis Buñuel – A Idade do Ouro

Tim Burton - Ed Wood

Michael Cacoyannis - Electra, A Vingadora

Antônio Calmon - O Capitão Bandeira Contra o Doutor Moura Brasil

Ozualdo Candeias - A Margem

Maurice Capovilla - Bebel, Garota Propaganda

Frank Capra - A Felicidade Não se Compra

Ivan Cardoso - O Segredo da Múmia

John Cassavetes - Os Maridos

Alain Cavalier - Terei o Direito de Matar?

Claude Chabrol - O Açougueiro

René Clair - A Nós a Liberdade

Jack Clayton - Os Inocentes

Joel Coen – Fargo

Luigi Comencini - A Garota de Bube

Francis Ford Coppolla – A Conversação

Roger Corman - A Orgia da Morte

Eduardo Coutinho - Cabra Marcado Para Morrer

David Cronenberg - Gêmeos, Mórbida Semelhança

George Cukor - O Modelo e a Casamenteira

Jules Dassin - Sombras do Mal

Delmer Daves - Prisioneiro do Passado

Vittorio De Sica - O Jardim dos Finzi-Contini

William Dieterle - Retrato de Jennie

Stanley Donen - Sete Noivas Para Sete Irmãos

Carl Theodor Dreyer - O Martírio de Joana D’Arc

Anselmo Duarte - O Pagador de Promessas

Clint Eastwood - Os Imperdoáveis

Atom Egoyan - Calendar

Roberto Faria - Assalto ao Trem Pagador

John Farrow - O Enviado de Satanás

Rainer Werner Fassbinder - As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant

Federico Fellini - Oito e Meio

Abel Ferrara - Vício Frenético

Marco Ferreri - Brinquedo Louco

Richard Fleischer - O Estrangulador de Rillington Place

Bryan Forbes - O Vento Também tem Segredos

John Ford - As Vinhas da Ira

John Frankenheimer - Sob o Domínio do Mal

Stephen Frears - Gumshoe, Detetive Particular

Robert Fuest - O Abominável Dr. Phibes

Samuel Fuller - Anjo do Mal

José Antônio Garcia (e Icaro Martins) - O Olho Mágico do Amor

Pietro Germi - Aquele Caso Maldito

Ugo Giorgetti - Jogo Duro

Amos Gitai – Kadosh

Jean-Luc Godard - O Desprezo

Claude Goretta - Um Amor Tão Frágil

Heinosuke Gosho - De Onde se Avistam as Chaminés

Peter Greenaway – A Última Tempestade

Michael Haneke - O Sétimo Continente

Marion Hansel – Entre o Inferno e o Profundo Mar Azul

Curtis Harrington - O Terceiro Tiro

Byron Haskin - A Selva Nua

Henry Hathaway - Amor Sem Fim

Howard Hawks - À Beira do Abismo

Werner Herzog – Stroszek

Alfred Hitchcock - Um Corpo Que Cai

Mike Hodges - O Homem Terminal

John Hough - A Casa da Noite Eterna

John Huston - Cidade das Ilusões

Shohei Imamura - O Profundo Desejo dos Deuses

James Ivory - Vestígios do Dia

Miklos Jancso - Vícios Privados, Virtudes Públicas

Jim Jarmusch - Estranhos no Paraíso

Neil Jordan – À Procura do Destino

Aki Kaurismaki - The Match Factory Girl

Jerzy Kawalerowicz - Madre Joana dos Anjos

Elia Kazan – Viva Zapata

Buster Keaton - A General

Walter Hugo Khouri – Eros, O Deus do Amor

Krzysztof Kieslowski - Não Amarás

Henry King - O Matador

André Klotzel - A Marvada Carne

Masaki Kobayashi - As Quatro Faces do Medo

Ted Kotcheff - Pelos Caminhos do Inferno

Stanley Kubrick - Glória Feita de Sangue

Akira Kurosawa – Viver

Kiyoshi Kurosawa - Kyua

Emir Kusturica - Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios

Fritz Lang - Os Nibelungos

Alberto Lattuada - O Moinho do Pó

David Lean – Lawrence da Arábia

Spike Lee - Faça a Coisa Certa

Mitchell Leisen - Meia-Noite

Sergio Leone - Era Uma Vez na América

Richard Lester - Petulia, Um Demônio de Mulher

Jerry Lewis - O Terror das Mulheres

Joseph H.Lewis - Ódio Contra Ódio

Walter Lima Jr.- A Lira do Delírio

Anatole Litvak – Tudo Isto e o Céu Também

Ken Loach - Vida em Família

Joseph Losey - O Criado

Ernst Lubitsch - A Loja da Esquina

Sidney Lumet - O Homem do Prego

Bigas Luna - Os Olhos da Cidade São Meus

Ida Lupino - O Bígamo

David Lynch - A Estrada Perdida

Jim McBride - A Força do Amor

Leo McCarey - A Cruz dos Anos

Alexander Mackendrick - Vendaval na Jamaica

Dusan Makavejev - Wilhelm Reich – Os Mistérios do Organismo

Terrence Malick - Terra de Ninguém

Louis Malle - Trinta Anos Esta Noite

Rouben Mamoulian - O Cântico dos Cânticos

Joseph L. Mankiewicz - A Malvada

Anthony Mann - Almas em Fúria

Fauzi Mansur – Sedução, Qualquer Coisa a Respeito do Amor

José Mojica Marins – Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver

Humberto Mauro - Ganga Bruta

Peter Medak - Um Dia na Morte de Joe Egg

Georges Méliès - A Viagem à Lua

Jean-Pierre Melville - O Samurai

Nikita Mikhalkov - Urga – Uma Paixão no Fim do Mundo

Vincente Minnelli - O Pirata

Kenji Mizoguchi - Os Amantes Crucificados

Mario Monicelli - A Grande Guerra

Giuliano Montaldo - Deus Está Conosco

Robert Mulligan - O Sol é Para Todos

Friedrich Wilhelm Murnau - Aurora

Mikio Naruse – O Amor que Não Morreu

Ronald Neame - Primavera de Uma Solteirona

Ralph Nelson - Quando é Preciso Ser Homem

Paul Newman - Rachel, Rachel

André Luis Oliveira - Meteorango Kid – Herói Intergalático

Domingos de Oliveira - A Culpa

Manoel de Oliveira - Um Filme Falado

Ermanno Olmi - Caminha, Caminha

Max Ophuls - Carta de Uma Desconhecida

Nagisa Oshima - O Império dos Sentidos

Yasujiro Ozu - Era Uma Vez em Tóquio

Georg Wilhelm Pabst - A Caixa de Pandora

Alan J. Pakula - Os Anos Verdes

George Pal - As 7 Faces do Dr. Lao

Sergei Paradjanov - Cavalos de Fogo

Pier Paolo Pasolini – O Evangelho Segundo São Mateus

Alexander Payne - Eleição

Sam Peckinpah - Pistoleiros do Entardecer

Arthur Penn - O Milagre de Anne Sullivan

Luis Sérgio Person - São Paulo S/A

Elio Petri - A Décima Vítima

Maurice Pialat - Nous ne Vieillirons pas Ensemble

Roman Polanski – Armadilha do Destino

Sydney Pollack - A Noite dos Desesperados

Gillo Pontecorvo - A Batalha de Argel

Sally Potter - The Tango Lesson

Michael Powell - A Tortura do Medo

Guilherme de Almeida Prado - As Taras de Todos Nós

Otto Preminger - Laura

Bob Rafelson - Cada um Vive Como Quer

Sam Raimi - Uma Noite Alucinante

Nicholas Ray - No Silêncio da Noite

Satyajit Ray - O Mundo de Apu

Carol Reed - O Terceiro Homem

Carlos Reichenbach - Extremos do Prazer

Lotte Reiniger - As Aventuras do Príncipe Achmed

Jean Renoir - A Regra do Jogo

Alain Resnais - O Ano Passado em Marienbad

Tony Richardson - Um Gosto de Mel

Arturo Ripstein - Vermelho Sangue

Dino Risi - Aquele Que Sabe Viver

Michael Ritchie - A Marca da Brutalidade

Martin Ritt - O Indomado

Jacques Rivette - A Bela Intrigante

Glauber Rocha - Terra em Transe

Nicholas Roeg - A Longa Caminhada

Eric Rohmer - O Raio Verde

George A. Romero - Martin

Francesco Rosi - Três Irmãos

Robert Rossen - Desafio à Corrupção

Patricia Rozema - Quando a Noite Cai

Ken Russell - Os Demônios

Mark Rydell - A Rosa

Nelson Pereira dos Santos - Fome de Amor

Roberto Santos - A Hora e a Vez de Augusto Matraga

Carlos Saura - Cria Cuervos

Claude Sautet - Vicente, Francisco, Paulo e os Outros

John Sayles - Matewan – A Luta Final

Franklin J.Schaffner - Planeta dos Macacos

John Schlesinger – Ainda Resta Uma Esperança

Volker Schlöndorff – O Jovem Törless

Ettore Scola – Um Dia Muito Especial

Martin Scorsese – Depois de Horas

Rogério Sganzerla – O Bandido da Luz Vermelha

Kaneto Shindo – A Ilha Nua

George Sidney – Dá-me Um Beijo

Don Siegel – O Estranho Que Nós Amamos

Robert Siodmak - Assassinos

Douglas Sirk – Chamas que Não se Apagam

Steven Spielberg - Encurralado

John M.Stahl – Amar Foi Minha Ruína

George Stevens – Serenata Prateada

Jean-Marie Straub – Crônica de Anna Magdalena Bach

John Sturges – Conspiração de Silêncio

Preston Sturges – Contrastes Humanos

Eizo Sugawa – Desafio à Vida

Seijun Suzuki – Tóquio Violenta

Andrei Tarkovsky - Solaris

Frank Tashlin – Em Busca de um Homem

Jacques Tati – Meu Tio

Bertrand Tavernier – A Morte ao Vivo

Paolo e Vittorio Taviani - Kaos

Hiroshi Teshigahara – A Mulher de Areia

Jacques Tourneur – Fuga do Passado

Tomu Uchida – Espada Diabólica

Edgar G.Ulmer – O Gato Preto

Gus Van Sant – Drugstore Cowboy

Paul Verhoeven – Louca Paixão

King Vidor – A Noite Nupcial

Jean Vigo – L’Atalante

Luchino Visconti – O Leopardo

Josef Von Sternberg – O Anjo Azul

Erich Von Stroheim – Ouro e Maldição

Andrzej Wajda - Sem Anestesia

Raoul Walsh – Fúria Sanguinária

Charles Walters - Lili

Peter Weir – Picnic na Montanha Misteriosa

Orson Welles – A Marca da Maldade

William Wellman – Consciências Mortas

Wim Wenders – Paris, Texas

James Whale – A Noiva de Frankenstein

Billy Wilder – Crepúsculo dos Deuses

Robert Wise – O Dia em que a Terra Parou

William Wyler – Pérfida

Zhang Yimou – Lanternas Vermelhas

Valerio Zurlini – La Soldatesse

Este é o último post do ano. No começo de janeiro deverei publicar o balanço final de 2006, com minha lista de melhores do ano.

FELIZ NATAL E UM ÓTIMO 2007 PARA TODOS VOCÊS!!!

39 comentários:

Eduardo Aguilar disse...

Cara!!! q. puta presentaço prá qm. acompanha seu blog. Adorei essa lista e sem exagero, acho q. foi a melhor coisa q. encontrei na blogofesra até hoje, vai virar referêncial sobre os filmes q. desconheço, claro q. não são tantos assim, pq. nosso gosto é muito próximo - rsrsrsrs. Feliz 2007!!!

sergio disse...

Fala, Edú! Obrigado pelas palavras, mas acho que não chega a tanto hehehe!
É verdade, nosso gosto é bem parecido, e sei que muitos filmes que citei tb são seus preferidos :)
Feliz Natal e um Excelente 2007!!!

Ailton disse...

Legal que a lista funciona como referência pra se procurar os filmes. Curiosamente, vi O RAIO VERDE dia desses.

Ailton disse...

Simplesmente 173 filmes não vistos por mim. É mole??

sergio disse...

Fala, Ailton! Mas vc é jovem ainda, tem muito tempo pela frente para ver todos os filmes :)
Do Rohmer poderia ter entrado O Joelho de Claire, mas tenho um carinho todo especial pelo Raio Verde. Gostou do filme?

Graciele disse...

Que post delicioso! O mais bacana foi ver que participei de algumas 'descobertas'. Por exemplo: Lost Highway. Tenho muito viva na memória um dia em que comentamos que Matador era, em nossa opinião, o filme mais emblemático de Almodovar. Lembro tb de uma importante Mostra do Chabrol e do nosso comentário acerca de O açougueiro: "a gente fica com pena do açougueiro...Como?". Mas me surpreendi por vc não ter escolhido Terra e Liberdade do Ken Loach. Nem acho que era seu filme favorito, mas achei que nele, na sua opinião, estava toda a essência da obra do diretor. Outra coisa que me surpreendeu foi vc não ter escolhido O passo suspenso da cegonhado Angelopoulos, mas Viagem dos comediantes
O ano terminou lindamente, Sergio! Um ótimo Natal, o meu, depois desse post, está cheio de boas lembranças. Obrigada

sergio disse...

Oi, Graciele! Tb lembro de comentarmos sobre Matador, que é quase um divisor de águas na carreira do Almodóvar. Poderia ter escolhido Terra e Liberdade do Loach sem problema algum, é um filmaço realmente, mas qdo vc assistir Vida em Família vai entender minha escolha. Como vc costuma baixar filmes na internet pode ser que o encontre. E se encontrar faz uma cópia pra mim? hehehe!
Vc sabe que adoro O passo suspenso..., mas A Viagem dos comediantes é insuperável. Lembro que vi em condições adversas, estava com uma dor de garganta terrível no dia, mas as 4 hs de filme passaram num piscar de olhos!
Ótimo Natal Graciele, pra vc e toda sua família! Beijão :)

CrissMyAss disse...

Que listão, rapaz! Digo, quantitativamente. Qualitativamente achei meio questionável, fala sério! Tem uns pessoal ali que não dá pra enfiar no mesmo saco...
Querido Sergio, é sempre um prazer ler suas resenhas e tê-lo como leitor.
Feliz Ano Novo!

sergio disse...

Querida Criss, apesar de não ter citado nomes posso imaginar quem é o pessoal a que vc se refere.
Acontece que eu relacionei cineastas que, mesmo não sendo grandes, fizeram filmes que muito me marcaram. Alguns cinéfilos poderão sentir a falta de nomes importantes do cinema como Eisenstein, Rossellini, Chaplin, Bertolucci, Truffaut,etc. Mas apesar de respeitar e gostar de alguns filmes desses diretores, eles não estão entre meus preferidos.
Mas sempre revejo com renovado prazer as FC e filmes de terror de Byron Haskin, John Hough, Jack Arnold, Robert Fuest, George Pal, etc.
Obrigado pelo comentário, Criss!
Feliz 2007, e longa vida pro Crissmyass! Beijos!

Ailton disse...

Gostei de O RAIO VERDE, mas ele ficaria atrás de outros do Rohmer (JOELHO DE CLAIRE, PAULINE NA PRAIA, CONTO DE INVERNO, CONTO DE VERÃO). Se tudo der certo, falo sobre o filme hj no blog.

sergio disse...

Grandes filmes do Rohmer, sem dúvida! Vou aguardar seu texto.

Graciele disse...

Eu lembro como vc estava doente no dia em que foi assistir Viagem dos Comediantes. Vc se lembra que no dia seguinte nem foi trabalhar? Olha, se eu achar o filme na internet (e olha que já estou procurando) faço cópia para vc, mas promete que seu próximo investimento será num dvd divx, que lê arqs da internet? Meu amigo, minha vida mudou depois dessa invenção..hahaha
Ah, ia esquecendo...adorei que vc colocou O raio verde do Rohmer. É, na miha opinião, o filme mais singelo dele, se fosse minha lista eu colocaria Conto de verão e nem venha com risadinhas...hehe
Saudades de vc, manda beijos para a família.

sergio disse...

Fiquei 2 dias sem trabalhar, aquela gripe me derrubou mesmo!
Espero que vc encontre o filme do Loach, quero muito rever. E prometo que irei comprar um dvd divx :)
E porque eu iria rir por vc gostar de Conto de Verão? É dos meus preferidos da série Contos das 4 Estações, se bem que estou desconfiado que a direção do Rohmer não seja o motivo de sua admiração pelo filme...
Bjs :)

Jorge Didaco disse...

Oi Sergio,
Boas Festas! Bom final de ano!
Grande lista. Com exceção de 2 ou 3 nomes, todas as tuas escolhas de diretores estariam ao lado da minha cabeçeira. Alguns comentários sobre os filmes representativos de cada um, de baixo pra cima: Zurlini- me lembro de 'Le Soldatesse' na mostra, meu coração deve ter parado por alguns minutos com tanta tristeza e melancolia na minha frente; por mais que algumas vozes dissonantes digam o contrário, Wyler (assim como Stevens) é, e continuará sendo, essencial (em lugar de 'Perfida', que adoro, talvez colocasse 'Tarde Demais'); a escolha de 'Sem Anestesia' de Wajda é uma grata surpresa; maior surpresa no entanto, e a qual assino em baixo, foi a escolha do sublime 'A Noite Nupcial' para representar Vidor- uma das coisas mais lindas e tocantes do mestre, uma das maiores (se não for a maior) interpertação de Cooper; venho defendendo ferrenhamente nas paginas do IMDb 'A Mulher de Areia' e 'Madre Joana dos Anjos' como dois filmes essenciais do Cinema Fantástico; outra surpresa: 'Chamas que não se Apagam' no lugar de um Sirk mais celebrado (e Stanwyck em estado de graça); Sautet: concordo com a escolha de 'Vicente,...', mas há pouco tempo eu tive uma revelação ao assistir 'Un mauvais fils': Sautet era, de fato, um gênio; o terceiro episódio, com o extraordinário Roberto Miranda, de as 'As Taras de Todos Nós' é uma obra prima em si; Jean Yanne em 'Nous ne vieillirons pas ensemble' e 'O Açougueiro': para assistir de joelhos!!; 'Cavalos de Fogo' foi tema da minnha tese!!; 'Um Filme Falado' é uma das coisas mais incríveis da década, no entanto depois de ter visto 'Amor de Perdição', eu sinto que eu renasci!!; outra genial surpresa, o western psicológico de Lewis; 'Meia-Noite' é puro gênio, mas há outra noite em Leisen que acaba comigo:'Lembra Daquela Noite?'; no lugar de 'Entre o Inferno...' eu escolheria 'Dust'; Jeanne Crain (Modelo) e Thelma Ritter (Casamenteira), nada a dizer; aguardando Fevereiro pela retrospectiva Cassavetes, por enquanto fico também com 'Os Maridos'; 'Cara a Cara' de Bressane - escolha inusitada, tanta coisa pra escolher...; estava na mesma sessão lotada do Angelopoulos (CCSP). Não vi: o Comencini, Lattuada, Kyoshi Kurosawa e Fauzi Mansur. Ausências sentidas: Zanussi (me lembro do entusiasmo mútuo por 'O Ano do sol Tranqüilo'); Narciso Ibáñez Serrador (me lembro da tua dupla indicação: 'La Residencia' e 'Os Meninos'); Jarman; Lewis Allen (outra reveleção: 'Alma Negra'); Hou Hsiao-hsien; Argento; Deville; Claire Denis; Olivier Assayas; Mario Bava; Borzage; Blake Edwards; Kar-wai; Tsai; Kitano; Bill Forsyth; Erice; Kiarostami (sei que você não é grande fã de alguns iranianos, no entanto...). É uma lista de referência Sérgio, que eu indicaria a ser seguidamente consultada por todo estudante de cinema ou cinéfilo que se preze. Um grande abraço,
Jorge Didaco

sergio disse...

Fala, Jorge! Vou tentar dar conta desse seu estupendo comentário :)
La Soldatesse - Tive o mesmo sentimento que vc ao final dessa obra-prima. Que final mais triste...
Já cheguei a conclusão de que sempre terá alguém disposto a desmerecer Wyler e Stevens; felizmente eles tb sempre terão defensores!
Sobre A Noite Nupcial não tenho nada a acrescentar ao que vc disse. Quer dizer que vc deixou comentários no IMDB a respeito de Mulher de Areia e Madre Joana? Vou lá conferir :)
"Chamas que não se apagam" precisa ser descoberto, pois nele se encontra o essencial da obra do Sirk.Que trabalho de câmera! Que interpretações! Fiquei estupefato qdo assisti pela primeira vez. Não vi Un Mauvais Fils, fiquei curioso! E quero uma cópia de sua tese sobre Cavalos de Fogo hehe!
Leisen tem outras obras-primas no currículo: Garota de Sorte, A Porta de Ouro, Ela e o Secretário, etc. Mas até hoje dou boas gargalhadas qdo lembro algumas cenas do Meia-Noite!
Qto a retrospectiva Cassavetes estou indignado: São Paulo vai receber apenas alguns filmes, e em DVD!!! O QUE É ISSO, COMPANHEIRO???
Bressane tem feito um filme melhor que o outro nos últimos 10 anos, mas o primeiro continua insuperável!
Sobre as ausências: realmente gosto muito de O Ano do Sol Tranquilo, mas na verdade vi pouca coisa do Zanussi, e o tão celebrado Iluminação eu detestei!
Serrador, Jarman, Deville, Borzage, Kitano, Forsyth, Erice são cineastas que admiro, mas pelos critérios que estabeleci acabaram ficando de fora. Talvez se a lista tivesse 300 nomes...hehe! Gosto de Argento e Bava, mas não posso dizer que estão entre meus preferidos; e Kar-Wai tem me decepcionado bastante ultimamente. Me envergonho em dizer que não vi nada de Hsiao-hsien nem de Assayas :(
Mas da Claire Denis vi o abominável Trouble Every Day (mas creio que sua opinião é diferente, acertei?)
E não sou mesmo fã de cinema iraniano, mas o Jafar Panahi quase entrou na lista.
Muito obrigado Jorge pelo excelente comentário! Abração!

Matheus Trunk disse...

Oi Serjão ! Tudo bom ? Putz, seu blog é assim: nem tantos posts em quantidade, mas muitos em qualidade. Esse precisarei de mais tempo pra ver os maiores detalhes e tudo mais, mas pude notar Fauzi Mansur, o que me deixou muito alegre. William Wellman você já tinha me falado que curtia, mas é uma lista que muitas vezes sai do normalmente associado (tipo Herzog o primeiro filme associado não é Strozek). Mas por isso, que torna ela tão especial. Devo voltar para vê-la com mais atenção. Mas melhoras (li sobre sua gripe) e feliz 2007. Abraços, Matheus.

sergio disse...

Oi, Matheus! Tudo bem e vc? Pois é, o Fauzi era ótimo, pena que sua carreira tenha ido pro brejo com o advento do pornô. Aliás, acabei de ler "Boca do Lixo: cinema e classes populares", do Nuno Cesar Abreu. Excelente! Acho que vc, que se interessa pela história da Boca, vai gostar bastante.
E que tal um dossie Wellman na Zingu? hehe! Ou Herzog? :)
Obrigado pela visita, Matheus, e ótimo ano novo!
Ah, só um esclarecimento: eu tive aquela gripe faz uns 10 anos! Mas de qualquer forma agradeço pelas melhoras hehehe!
Abraço!

Graciele disse...

kkkkk Eu acho o filme adorável, mas tem um elemento a mais, né? hehe
Vi na sua resposta acima que vc não gosta de Iluminação. Eu lembro bem qdo teve uma Mostra no CCSP* e vc comentou que não agüentava olhar para a cara do protagonista, pois ele tinha 'cara de bobo'! hahaha...Até hoje rio disso e..quer saber? Eu tb acho!
Beijos
*O CCSP nunca mais foi o mesmo, né? Quantas Mostras, né mon ami?

Marcelo Carrard disse...

Oi SÉRGIO. A leitura da sua lista foi uma viagem nostálgica muito profunda. Adorei algumas escolhas de filmes não muito óbvias. Volto dia 28 como já falei antes, estou com muita saudade de nossa amada Sampa, até mais e Muita Saude para todos nós...

Roberto Queiroz disse...

Sérgio, isso não é uma lista. É uma enciclopédia cinematográfica. Só faria duas mudanças (mas trata-se de uma questão pessoal: sou fanático pelos dois filmes. Não tem jeito). No lugar de Imagens, do Altman, colocaria M.A.S.H e no lugar de A Conversação, de Coppola(que é um filme deslumbrante) poria Apocalypse Now (de preferência o Redux, esse que foi relançado há pouco tempo nos cinemas). Abraços do crítico da caverna.

Sergio disse...

Oi, Graciele! Pois é, aquele "ator" transformou tudo numa comédia involuntária hehe! Poucas vezes vi uma escalação de casting tão errada!
E foi-se o tempo em que o CCSP tinha uma boa programação. Beijo!

Fala, Marcelo! Tenho acompanhado no seu blog os dias de cinefilia em POA. Aproveite bem esses dias e boa viagem de volta pra Sampa!
Obrigado pela visita e pelo comentário, Marcelo, é ótimo ano novo!

Oi, Roberto! Entendo perfeitamente suas escolhas, tb gosto de Mash e Apocalipse Now (se bem que prefiro a 1a. versão). Mas o mergulho numa mente esquizofrênica de "Imagens" e o retrato da paranóia de "A Conversação" me impressionam até hoje! Obrigado pelas palavras!

Abraços a todos!

Bruno Amato Reame disse...

Bela lista Sérgio.

Ah, assim que puder dê uma olhada no meu blog que após várias reformas finalmente tá pronto! Tá com visual caprichado e várias coisas legais que acrescentei (como estrelinhas e lista de Melhores do Ano). So faltam os textos, mas eles não tardam, hehe.

E um feliz 2007 pra vc também. Um abraço.

sergio disse...

Olá, Bruno! Em breve vou visitar seu blog reformado. Nada melhor do que começar o ano c/ novo visual :)

Feliz 2007, com muitos filmes hehe!
Abraço!

ronald disse...

Um feliz 2007 pra ti, Sérgio! E que bela lista essa, heim? Se animar, vou fazer uma lista dos meus diretores preferidos também no primeiro post de 2007...
Abraços!

sergio disse...

Obrigado, Ronald, igualmente!
E faça sua lista sim, queremos saber quem são seus diretores de cabeceira :)
Abraço!

Moacy disse...

Entre concordâncias (muitas) e discordâncias (igualmente muitas), uma lista estimulante. Vou fazer a minha para o Balaio, assim que possível. Enquanto isso, que 2007 seja um grande ano para todos nós, em cinema, amores e futebol. Um grande abraço.

Ronald disse...

Vou fazer, com certeza.... é impressão minha ou o Brian de Palma não está na lista?

Andréa Ormond disse...

Oi Sergio, feliz ano novo!!! Um 2007 com tudo de bom pra vc, muita pipoca, salas escuras e aquele amor inconfundível pela sétima arte. Amei a lista: dentre outros, A Nós, a Liberdade ao lado do Capra, Dreyer perto do Pagador de Promessas, a citação ao Mélies. Como sempre, tudo de um refinamento muito grande. Beijos!

Graciele disse...

Sergio, um ótimo ano para e família. Aguardo uma lista com os piores do ano, pois quero muito contribuir, afinal, ontem, assisti a maior bobagem que um ser humano pode ter concebido neste milênio: O sacrifício; último filme de Neil Labute (aquele cara que já mostrou ser um engodo). Olha nunca vi tanta bobagem. Assisti em DVD, ainda bem que não foi na tela grande senão perigava eu ficar traumatizada para o resto da vida. Na tela pequena, pelo menos, o impacto é menor.

sergio disse...

Caro Moacy, estou aguardando sua lista. Excelente 2007 para vc e todos nós :) Abração!

De Palma não está na lista, Ronald! Gosto de vários de seus filmes, mas não posso considerá-lo um de meus diretores preferidos.

Andréa, ótimo 2007 pra vc também, e que vc continue nos presenteando com textos maravilhosos como sobre "A Noite do meu bem", longa vida ao Estranho Encontro :) Muito obrigado pelo comentário!
Beijos :)

Igualmente, Graciele!
Talvez eu publique a lista dos piores junto com a dos melhores do ano, vamos ver!
Posso adiantar que O Sacrifício estará com certeza na lista, ao contrário de vc tive a infelicidade de ver essa bobagem no cinema, arghhh :(
Bjs!

Graciele disse...

Sergio! Tadinho!!! Vc viu no cinema essa bobagem misógina? Me diga uma coisa: vc assistiu o original?
Beijos!

sergio disse...

Assisti o original, Graciele. É um dos grandes filmes da década de 70, e não apenas do gênero terror. Vc pode encontrá-lo nos balaios das Americanas! Beijo!

Matheus Trunk disse...

Serjão: venho te falar e informar que a edição de janeiro da nossa ZINGU! já está no ar. É só ir no www.revistazingu.blogspot.com e conferir o dossiê Howard Haws, com análise de onze filmes do mestre e mais uma antiga entrevista feita com ele. Além disso, pode-se ver colunas tradicionais da Zingu! como Musas Eternas dessa vez feita pelo Marcelo Carrard com Edwige Fenech, a estréia da Coluna do Biáfora e de três novos colaboradores para a nossa publicação. Com colaboração especial de Leandro Caraça e Ailton Monteiro. Espero que gostem amigos !

sergio disse...

Matheus, a revista está ótima! Em breve irei divulgar com mais destaque. Por enquanto convido todos os leitores e amigos a conferir a edição de janeiro da nossa Zingu!, cada vez melhor :)
Abraço!

Michel Simões disse...

Eu nem vou contar, de tantos filmes que não vi, pqp hehehehe

Moacy disse...

Caro Sérgio: Meus diretores preferidos (e seus filmes pincipais) já estão no Balaio. Um grande abraço.

sergio disse...

Michel, a vantagem é que vc é jovem ainda, tem muitos anos (e filmes) pela frente :)

Fala, Moacy! Estou indo lá verificar sua lista!

Abraços!

Roberto Queiroz disse...

Sérgio, estou passando para divulgar o meu novo blog (voltei a ter tempo de escrever as minhas críticas, como eu fazia quando comecei a montar o the cave e achei que elas mereciam um novo espaço na internet). O endereço é http://claque-te.blogspot.com (claque-te é o nome da minha coluna de cinema no portal http://reacaocultural.blogspot.com, onde eu escrevo quinzenalmente). Abraços do crítico da caverna.

sergio disse...

Depois vou lá conferir o novo blog, Roberto. Boa sorte nesse novo endereço! Abraço.

Pesquisa do Blog