27/08/2006

CHAN, AJA, PHILIBERT E KORMAKUR

Escravas da Vaidade (Dumplings) - Me surpreendi com a elegância com que o diretor de Hong Kong Fruit Chan aborda um tema dos mais escabrosos: para reconquistar a atenção do marido uma atriz veterana recorre aos préstimos de uma espécie de curandeira que tem um segredo culinário de rejuvenescimento. Ela faz bolinhos utilizando como ingrediente fetos humanos!
Mas não se preocupe, como eu disse tudo é feito de forma elegante e sutil, com uma leve pitada de humor negro. E as duas atrizes são excelentes.

Alta Tensão (Haute Tension) - 2 amigas vão passar as férias na fazenda da família de uma delas, na França profunda. A família é massacrada por um demente, e as amigas terão que lutar por suas vidas. Aqui dá para perceber semelhanças temáticas com o recente Viagem Maldita, deixando claro porque o jovem Alexandre Aja já está sendo considerado o melhor diretor de filmes de terror do momento. Tem uma surpresa próxima do final que pode dar um nó na cabeça de muita gente!

Ser e Ter (Être et Avoir) - Outro filme francês passado no meio rural, mas desta vez não se trata de terror, mas sim um documentário de cunho humanista, que fez incrível sucesso na França. O diretor Nicolas Philibert acompanhou um ano na vida dos alunos de uma escola em que crianças e adolescentes dividem a mesma sala de aula, sob a atenta supervisão do professor Georges Lopez. Ele é um exemplo de dedicação e amor à profissão como raramente se vê hoje em dia. Belo filme!

A Fraude (A Little Trip to Heaven) - A ação tem lugar nos EUA, mas a produção foi toda filmada na Islândia, terra natal do diretor Baltasar Kormakur. É uma espécie de neo-noir com ótimo elenco, onde se destacam Forest Whitaker e a bela Julia Stiles, com seu rosto de camafeu.
Na trama, o funcionário de uma seguradora é enviado à uma pequena cidade para investigar o acidente fatal de um sujeito cuja irmã é a única beneficiária de seu seguro de vida no valor de um milhão de dólares. Várias reviravoltas, complicações e mistérios como convém a um bom filme noir.

17 comentários:

Moacy disse...

Pô, cara, mais quatro filmes que não conheço. Decididamente, como cinéfilo estou pior do que o meu Fluminense: não acerto (vejo) mais uma. Um grande abraço.

sergio disse...

Fala, Moacy! O nosso tricolor carioca está mesmo uma lástima, hein?
Pra se animar procure por esses filmes, todos disponíveis em DVD. São excelentes.
Abração!

ronald disse...

Assisti hoje o Alta Tensão, e achei muito bacana! Achei ldgal a surpresa do final. A direção, a violencia, muito bom!

Abraços!

sergio disse...

A surpresa final é muito legal mesmo, Ronald, totalmente inesperado! Aja é um grande talento!

Roberto Queiroz disse...

Fiquei interessado em A Fraude (principalmente pelo fato de ter Forrest Whitaker no elenco). Aguardo para este ano um filme com ele que tem sido muito falado: The Last King of Scotland. Sempre me impressionou a forma como ele constrói seus personagens. Andou um bom tempo sumido até que deu às caras em O Quarto do Pânico, de David Fincher (para mim, a única coisa boa em todo o filme é a atuação dele). Abraços do crítico da caverna cinematográfica.

sergio disse...

Roberto, vale dar uma espiada no "A fraude".
O Forest é um ator excelente, mas muito pouco aproveitado infelizmente. Ele estava ótimo em Ghost Dog, Traidos pelo desejo, Pret-a-porter, entre outros. Mas concordo c/ vc, ele era a única coisa boa do Quarto do Pânico.
E não esqueça da Julia Stiles, ela também é ótima!
Abç!

pedrita disse...

fiquei curiosa em ver escravas da vaidade. tenho certa dificuldade em ver humor negro, mas sempre que me esforço para suplantar meus preconceitos, tenho ótimas surpresas. gostei de alta tensão, vi na sessão comodoro. até hj não me conformo de não ter visto ainda ser e ter. nunca tinha ouvido falar em a fraude. bejios, pedrita

Bakemon disse...

Depois de assistir ao excelente Dumplings recomendo a todos dar uma passada na Liberdade para comer uns bolinhos chineses! Delícia!

sergio disse...

Pedrita, se vc gostou de Alta Tensão não terá dificuldade nenhuma em gostar de Escravas da Vaidade.
Tb demorei pra assistir Ser e Ter, mas valeu a pena!
A Fraude é um lançamento recente nas locadoras. Beijos!

Bakemon, aqueles bolinhos são mesmo de dar água na boca hehehe!
Abraço!

fernando disse...

'Haute Tension'já é um dos meus preferidos.

sergio disse...

Dos meus tb Fernando, junto c/ Viagem Maldita!

Eduardo Aguilar disse...

Alguma coisa me incomodou em "Ser e Ter", não é querer parecer o espertão, até pq. eu acho q. o diretor fez um ótimo trabalho, mas o tal professor me passava a impressão de q. queria 'aparecer' e então veio a história dele querer receber mais pq. o filme estava rendendo bastante, algo no mínimo suspeito do pv. ético.

Enfim, a minha sensação é q. o doc. é um gênero pantanoso demais, de qq. forma, trata-se de filme importantíssimo e q. deve ser visto.

Sobre Whitaker, como todo bom canceriano, via de regra, são excelentes atores, mas a minha atuação preferida dele é em "Bird" do Eastwood, ele incendeia a tela!!!

sergio disse...

Fala, Edú! O que mais me incomodou foi o modo com que o tal professor tratava do mais cativante dos alunos, Jojo.
Em alguns momentos acho que ele pressionou demais o garoto.
Sempre me pergunto se durante as filmagens de um doc., quando a câmera está rodando, as pessoas conseguem manter a naturalidade, serem elas mesmas o tempo todo.
Quanto a questão do prof. querer receber uma graninha a mais, será que podemos realmente julgá-lo por isso?
Durante 1 ano de convivio diário, qual foi a relação que se estabeleceu entre o professor e o cineasta e sua equipe?
São questões que eu acredito nunca serão respondidas. Abç!

Eduardo Aguilar disse...

Acho q. menos com Jojo e mais até com uma aluna q. salvo engano iria mudar de escola, ele senta ao lado dela e é visível q. ela irá desmoronar, é como se ele quisesse ratificar o apego dos alunos com ele, me pareceu muito 'calculado' da parte dele. Sobre a questão da grana, é preciso conhecer os promenores, mas pelo q. sei ele recebeu conforme o acordo inicial, ou seja, o filme 'estourou' e ele quis receber mais, e se tivesse sido um fracasso retumbante e dado prejuízo, será que ele iria querer assumir parte do 'preju'? Claro, existem detalhes q. podem jsutificar a ação dele, recentemente o Randy Quaid alegou q. aceitou fazer "Brokeback Mountain" por valores de tabela pq. haviam lhe dito q. se tratava de um filme independente, mas ao ver o filme na tela, percebeu q. o custo do filme permitiria q. lhe pagassem adequadamente, entretanto, só fez o barulho após o sucesso comercial do filme de Ang Lee, e isso me irrita, é como se os produtores e diretores tivessem q. repartir o bolo mesmo q. isso não esteja previsto em contrato.

sergio disse...

Não estou lembrado dessa cena com a garota, acho que não me incomodou muito. É até possível que o prof. tenha calculado algumas atitudes. Mas por outro lado tem uma cena em que ele intervem numa briga entre os alunos, e a forma com que ele fala com as crianças, fazendo elas entenderem que estavam erradas, só é possível partir de alguém que entende muito o mundo infantil, e gosta de trabalhar com esse mundo. Figura curiosa esse professor!
Não conhecia essa história do Randy Quaid. Essas discussões a respeito de dinheiro são sempre complicadas, porque todo mundo quer ter razão hehe!
Mas afinal, vc sabe no que deu a ação do professor?

Eduardo Aguilar disse...

Não, não sei.

Enfim, grana a parte, devo estar amanhã na sessão comodoro, talvez não chegue a tempo de ver o filme, mas irei assim mesmo p/ encontrar com alguns amigos e seria bacana q. vc. estivesse entre eles. Fica feito o convite.

sergio disse...

Edú, existe 99% de chance que eu finalmente dê as caras na Sessão Comodoro! Só não digo 100% porque a gente nunca sabe o que pode acontecer, não é?
Mas a princípio, nos encontramos amanhã lá!
Ah, sim, levo seus filmes ou deixamos pra fazer as trocas outro dia?

Pesquisa do Blog