17/08/2008

BAVA - PARTE 1

Continuando com minha peregrinação pela obra de grandes cineastas italianos. Agora é a vez do mestre do terror Mario Bava, com breves comentários.

A Maldição do Demônio (La Maschera del Demonio) – Dispensa comentários. Cotação: *****

Hércules no Centro da Terra (Ercole al Centro della Terra) – Épico-mitológico com elementos de terror. A seqüência passada em Hades, o reino dos mortos, é uma obra-prima de delírio visual.
C.: *** A Vingança dos Vikings (Gli invasori) – Primeiro dos dois épicos do diretor sobre os guerreiros vikings, que surgiram na cola do clássico de Richard Fleischer “Os Vikings”. Apesar da indigência da produção, um belo espetáculo. C.: ***

La Ragazza che Sapeva Troppo – Uma excelente surpresa. O título original deixa claro a influência hitchcockiana. Americana em férias na Itália é vitima do ataque de um ladrão, que a deixa inconsciente. Ela acorda de madrugada com o grito de uma mulher e testemunha um assassinato, voltando a desmaiar em seguida. De manhã é encontrada e levada ao hospital, onde conta sua história para a polícia, mas nenhum corpo é encontrado. Teria sido tudo fruto de sua imaginação? Letícia Roman está ótima no papel. E tem uma deliciosa subtrama envolvendo um cigarro de maconha! Bava nunca teve muita sorte com os títulos dos seus filmes no Brasil. Este se chamou aqui “Olhos Diabólicos”. C.: ****

As Três Mascaras do Terror (I Tre Volti della Paura) - Dividido em 3 episódios (“O Telefone”, “O Wurdulak” e “O Pingo d’Água”), todos muito atmosféricos, transmitindo um autêntico clima de medo. C.: ***

La Frustra e il Corpo - Não se trata de um filme de terror (embora possua alguns elementos do gênero) mas sim um drama de amour fou à la Emily Bronte. Dos melhores do diretor. Quando lançado no Brasil, com muito atraso, recebeu o absurdo título: "Drácula, o Vampiro", devido a presença de Christopher Lee, claro. C. ****

Sei Donne per l'Assassino – Modelos de uma casa de modas começam a ser assassinadas com requintes de crueldade. O primeiro dos giallo é considerado por muitos como a obra-prima do diretor, mas eu não "embarquei" na proposta, não, apesar de reconhecer seus méritos, como o visual elaboradíssimo, de cores berrantes. Os fãs mais extremados dirão que é o triunfo da forma sobre o conteúdo, e assim fica mais fácil perdoar os erros de continuidade, as mortes fáceis demais, os furos de roteiro. C.: **

La Strada per Fort Alamo - Primeiro spaghetti-western do diretor. Produção paupérrima, mas realizada com sinceridade. C.: **

6 comentários:

Ronald Perrone disse...

Esse sim é dos meus! BAva foi um dos maiores mestres italianos com certeza!

Pena quenão gostou tanto de Sei Donne... acho muito bom.

Mal posso esperar pela parte II, heheh

Abraço!

Sergio Andrade disse...

Sei que você gosta do Bava, Ronald. Também gosto, mas o Sei Donne...realmente não me convenceu.

Aguarde a parte II para breve.
Abraço!

Andréa Ormond disse...

Sergio, do Bava vi somente "Cani arrabbiati", que é um filmaço. Quais outros vc recomenda em seguida?

Sergio Andrade disse...

Oi, Andréa! "Cani arrabiati" é um filmaço mesmo.

Você tem que ver também "A Maldição do Demônio", sem dúvida. E também o "La Ragazza..." e "La frustra e il corpo".
Gosto muito também de "Operazione Paura", "Planeta dos Vampiros" (com direito a Norma Bengell), "Danger: Diabolik"...
Quer dizer, tem bastante coisa pra vc ver hehehe!
Beijos :)

Vlademir Lazo Corrêa disse...

Olá, também tenho visto muitos filmes do Bava por esses dias. Dessa fase inicial, nem sei dizer qual o que eu mais gosto, os que vi são muito bons. Tenho uma certa preferência pelo clima de sadomasoquismo e necrofilia de La Frusta e il Corpo, e também gosto muito de Sei Donne..., que, ao meu ver, é um slash em que o soberbo dominio cinematográfico de Bava compensa eventuais imperfeições ou defeitos que se encontrem haha.

Um abraço!

Sergio Andrade disse...

Oi, Vlademir. O que mais me agradou no La Frusta e il Corpo também foi esse clima de sadomasoquismo e necrofilia, acho que o filme pode crescer ainda mais numa revisão. Obrigado pelo comentário.
Abraço!

Pesquisa do Blog