17/05/2007

PEEPING TOM BY JORGE DIDACO


O amigo Jorge esteve na Biblioteca no sábado para rever a obra-prima do Michael Powell. Ele me mandou um e-mail narrando sua ida à Biblioteca e um comentário que escreveu para um fórum de discussão no IMDB. A narrativa é tão espirituosa e o comentário tão excelente que decidi publicar aqui:

"Oi Sergio,
Estive no sábado na Biblioteca para assistir depois de muito tempo, esse extraordinário filme. Segui religiosamente tuas indicações e peguei o ônibus, vazio, na Vila Mariana (mas, Santo Deus, como aquilo vai lotando no meio do caminho; nunca vi tanta gente esprimida na minha vida, e olha que eu pego diariamente veiculos com o delicado nome de 'Cohab', 'Vila Nova Cachoeirinha', etc, mas esse 'Terminal Capelinha' é hors-concours!!!)

Vc tem toda a razão. A cópia estava excelente, especialmente na preservação da cor. E a dublagem do estúdio Herbert Richers é um clássico em si. Foi um prazer imenso rever o filme depois de tanto tempo; obrigado por proporcioná-lo Sergio. Escrevi em um dos foruns de discussão da IMDb uma mini-review do filme:

Peeping Tom (1960) - Michael Powell (2nd viewing)
I relished the opportunity to re-watch this shocker of shockers on the big screen in a pristine copy. One of the most cinematic glorious moments of my year so far. Never the amazing colour schemes of Otto Heller’s cinematography looked so entrancing, lurid or hellish, never the individual images that have been endlessly reproduced on various reference books and magazines looked so iconic, never the performances so engaging and moving, or the script and dialogue so bravely mature and adult. Karl Boehm (he, the handsome prince of the ‘Sissi’ films, devilishly reinvented by Powell in one of the most perverse castings in film history) gives psychopath Mark Lewis psychological levels of complexity and Freudian anguish, and all the women that cross his path are equally superb and unforgetable: Anna Massey, Maxine Audley, Pamela Green and Moira Shearer (who has a memorable sequence in the film, with references to her own performance in Powell’s ‘The Red Shoes’; just one of the many macabre metalinguistic/self-referential touches Powell gives us). Nothing less than 10/10"

8 comentários:

Graciele disse...

Tá vendo, Sergio? A Mostra já ganha contornos internacionais :D
*quero comentar no post de Baixio das bestas, mas não consigo. :(

sergio disse...

É Graciele, viu que chique? :)

Já pode comentar no post do Baixio. Coisas do novo blogger!

Jorge Didaco disse...

Oi Sergio,

Nossa, que honra!
Eu estava aqui pensando como 1960 foi um ano incrível para o cinema de horror, não? Além de 'Peeping Tom', 'Psicose', 'Olhos Sem Rosto', 'A Maldição do Demônio', 'O Circo dos Horrores', 'Horror Hotel', 'Rosas de Sangue', 'O Solar Maldito', 'A Loja de Horrores' 'A Mulher Vespa', 'Jigoku', 'O Moinho das Mulheres de Pedra', 'A Aldeia dos Amaldiçoados', 'O Monstro da Morgue Sinistra', 'A Fonte da Donzela'... Que ano foi esse!
Um abraço Sergio, ah, e o novo layout do blog está ótimo!
Jorge

sergio disse...

Fala, Jorge!

Putz, é mesmo hein? Que ótimo ano para o gênero!
Você lembrou de alguns títulos essenciais. Alguns deles não vi, como Mulher Vespa (preciso comprar o DVD), Jigoku e O Moinho...mas os outros são maravilhosos.
Grande lembrança, Jorge!
Abraço!

Anônimo disse...

Sérgio, se quiser baixar A MULHER VESPA aqui está o link:

http://www.archive.org/details/The_Wasp_Women

Abraços!

Osvaldo Neto (www.vaeveja.blogspot.com)

sergio disse...

Osvaldo, devo ser a única pessoa no mundo que nunca baixou um filme :(

Mas prometo que agora vou tentar!
Obrigado pelo link.

Abraço!

Anônimo disse...

Sérgio, este é o arquivo mais simples em matéria de codec e que deve rodar facilmente no seu PC:

http://www.archive.org/download/The_Wasp_Women/The_Wasp_Women.mpg

Link direto pra vc copiar e colar no seu gerenciador de download.

Osvaldo Neto

sergio disse...

Falou, Osvaldo, vou tentar. Espero não ser idiota o bastante para não conseguir rss.

Abraço!

Pesquisa do Blog