24/02/2009

AS BOAS NOVIDADES EM DVD

Estive meio desatualizado sobre os lançamentos em DVD, e me surpreendi com os bons títulos que as distribuidoras estão colocando no mercado. A Fox, por exemplo, está lançando estes:




Uma divertida sátira ao western de Raoul Walsh, um Robert Wise pouco conhecido e dois excelentes film noir de Henry Hathaway. Muito bem!

Desta distribuidora vi um dos melhores filmes de Pasolini: Édipo Rei. A cópia até que estava boa. Vejamos como estão estes clássicos:




A Classicline/Universal faz uma homenagem (involuntária?) ao recentemente falecido Robert Mulligan, com um de seus filmes menos apreciados, mas que guardo boas lembranças.
E mais um grande filme film noir:



Essa distribuidora (alguém conhece?) está lançando estes dois maravilhosos westerns. O primeiro é de Richard (Corrida Contra o Destino) Sarafian; o segundo do grande Budd Boetticher:



A Europa vem com este drama de Cristina Comencini, que herdou a sensibilidade do pai, Luigi:



A Versátil, uma das melhores empresas do ramo, lançou o filme coletivo "Amore e Rabbia" (Lizzani, Bertolucci, Pasolini, Godard e Bellochio); e finalmente retoma a Coleção Valerio Zurlini, com sua última obra-prima:



Uma das mais novas distribuidoras a surgir, a Lume, baseada em São Luís-MA, vem realizando um bom trabalho. Em janeiro ela lançou:



Para março promete simplesmente estes:




É em março também que ela solta os dois primeiros títulos da Coleção Cinema Marginal Brasileiro, que promete ser o grande acontecimento cinematográfico do ano:



O problema é o preço: a R$ 49,90 cada DVD, esses filmes correm o risco de continuarem sendo eternamente marginais, já que apenas uma pequena parcela da população terá condições de adquiri-los.

18 comentários:

Moacy Cirne disse...

Vão lançar Bang-bang? Uma ótima notícia. Abraços.

Sergio Andrade disse...

Sim, meu caro! E depois vem filmes do Candeias, Sganzerla, Bressane, Callegaro, Reichenbach etc.

Roberto Acioli disse...

Não sabia que Édipo Rei já foi lançado por essa tal de Cult Classics [que ninguém que eu conheço conhece].

"Finalmente" é a palavra correta para expressar minha angústia em relação ao Zurlini. Vamos torcer para que não pare por aí. Nos próximos meses devo escrever alguma coisa sobre Zurlini em Cinema Italiano.

É muito difícil encontrar dados sobre ele, tenho livros que são antologias do cinema italiano mas que nem sequer dizem que ele existiu!

Realmente, em função de minhas preferências, a Versátil e a Lume são as distribuidoras básicas. Embora a Lume tenha uma certa tendência de distribuidora norte-americana [colocar extras sem legenda].

Esses 49.90 da Lume, e a Versátil não fica atrás, é o preço do site delas. O preço nas lojas é ainda maior. Com isso ganha novamente o cinema comercial norte-americano, com suas toneladas de dvd's a 9.90 ou 19.90 nas "quitandas gigantes".

Grande abraço

Sergio Andrade disse...

Pois é, também não sabia do lançamento do Édipo Rei até ir na locadora outro dia.

Acho que o Zurlini pagou o preço por não ter se enquadrado num certo tipo de cinema, algo que também aconteceu com muitos cineastas brasileiros que nunca entram em nossa historiografia.

Creio mesmo que ele deve ser mais conhecido e respeitado no Brasil do que na Itália. Que a Versátil não nos deixe esperando muito tempo pelos próximos.

Extras sem legendas não dá, né?
E quer dizer que nas lojas é ainda mais caro? Caramba, assim fica difícil, mesmo :(

Abraço!

Roberto Acioli disse...

As vezes eu acredito que essa invisibilidade do Zurlini tem algum outro motivo. Não posso dizer que os filmes dele são mais difíceis [ou experimentais] do que os de Antonioni ou Godard. Os filmes do Zurlini tem até... fundo musical! rsrsrs Tem até... começo meio e fim!rsrsrs

É só uma suspeita, mas as vezes eu acho que ele foi enterrado pelos produtores [ou gente que estaria ganhando dinheiro com Antonioni e outros da mesma faixa de onda].

Mesmo assim, é bizarro que o nome dele nem apareça em certos livros sobre cinema italiano escritos por especialistas!

Se fosse pelo tipo de filme, acho que gente como o Alain Resnais seria muito mais fácil de ser esquecido. Quero dizer, quantos tem paciência para tentar entender "O Ano Passado em Mariembad"?

Como diz o ditado, acho que tem caroço nesse angú.

abraço

Sergio Andrade disse...

Você está certo, Roberto, os filmes do Zurlini não são difíceis como os do Antonioni, tem começo meio e fim, tem fundo musical.

Creio que esse é o problema: o fato dele privilegiar um "cinema de sentimentos", ao invés de um cinema de cunho social como era moda na época. Mas a política não está ausente de seus filmes, pelo contrário, é abordada de forma sutil, o que os torna ainda mais devastadores.

O fato de não se ligar a "movimentos", manter uma certa independência, acabou fazendo com que ele fosse marginalizado. O mesmo aconteceu no Brasil com os diretores que não aderiram ao Cinema Novo, como Walter Hugo Khouri, pra citar apenas um exemplo.

"é bizarro que o nome dele nem apareça em certos livros sobre cinema italiano escritos por especialistas!"

Isso depõe muito contra esses "especialistas"!

Grande abraço!

Roberto Acioli disse...

Concordo, de fato esses "especialistas" podem muito bem ser questionados [a maioria é de universidades norte-americana].

Você até me inspirou a procurar o e-mail de um deles prá perguntar sobre o Zurlini. Vou pesquisar![embora essa invisibilidade do Zurlini seja praticamente uma unanimidade entre os autores, pelo menos na bibliografia que tenho]

Outra informação, descobri que Pasolini chegou a colaborar numa primeira versão do roteiro de "A Moça com a Valise". Mas a coisa não deu certo e o próprio Pasolini pediu que suas observações fossem retiradas. Essa informação, segundo a fonte que consultei [o único livro sobre Zurlini que conheço], não existe nem mesmo nas prateleiras do Fondo Pasolini,na Itália.

Ainda assim, eu acho que um eventual aspecto político em seus filmes não se compara aos aspectos políticos da filmografia do Pasolini. Mesmo assim, Pasolini é conhecido [e divulgado], Zurlini não.

Na verdade, até hoje só consegui um livro sobre Zurlini. Acho até que nos extras dos dvd's da Versátil [legendados, graças a Deus]tem mais informação do que tudo que eu tenho ou pude encontrar sobre ele na internet.

Grande abraço

Sergio Andrade disse...

Dos "especialistas" americanos já se poderia esperar isso, mas os próprios italianos não levarem Zurlini muito a sério é um absurdo.

Interessante essa história do Pasolini, mas pelo menos a colaboração dele não fez falta, pois "A Moça com a Valise" é um dos filmes mais perfeitos já feitos!

A invisibilidade do Zurlini é criminosa!
Qual o título desse livro sobre ele? Saiu no Brasil?

Abraços!

Roberto Acioli disse...

"Elogio della Malinconia. Il Cinema di Valerio Zurlini" [edizione del Girasole, 2001]

Eu não sou tão otimista em relação à memória dos italianos, ainda que esse livro seja uma homenagem a Zurlini.

grande abraço

Adilson Marcelino disse...

Caro Sérgio,
Vou escrever esse comentário pela terceira vez, tomara que agora dê certo, pois senão vou desistir.
É que eu acho essa coleção do Cinema Marginal da Lume uma das melhores notícias do cinema brasileiro dos últimos tempos.
Já até divulguei em um programa de rádio que tenho em BH chamado Cine Brasil - como o nome indica, só sobre cinema brasileiro.
Só que também acho que o preço salgado.
A Lume deve até ter seus motivos, mas para mim, por exemplo, que sou pesquisador de cinema brasileiro, é fundamental adquirir todos os títulos. Mas realmente não sei se conseguirei por causa do preco salgadinho, salgadinho.
Abs

Sergio Andrade disse...

Obrigado pelo título do livro, Roberto, vou tentar encontrar.


Adilson, você tinha colocado esse comentário no post abaixo, sobre a atualização no Indicação do Biáfora, e eu havia respondido lá, mas vou reproduzir aqui para facilitar:

Também acho que o lançamento dessa coleção dedicada ao Cinema Marginal é uma das melhores notícias sobre cinema brasileiro em muito tempo. As novas gerações finalmente terão contato com obras essenciais, como A Margem, Sem Essa Aranha, O pórnografo, etc.

Mas o preço tá mesmo salgado. Queria ter toda a coleção, mas com esse preço não será possível.

Abraços!

Ronald Perrone disse...

Nossa, esses lançamentos surpreendem. Mas eu me recuso a comprar! Caro demais!!!

Adilson Marcelino disse...

Vixe, que confusão que arrumei, heim? (rsrs)
Abraços meu amigo.

Vlademir disse...

Sobre o Zurlini (que até pouco tempo eu mal conhecia, mas que foi uma de minhas descobertas recentes mais interessantes), seus filmes (com exceção dos três que a versátil lançou) são tão dificeis de encontrar, que sou louco para ver o Dois Destinos (Cronaca Familiare) e só não o fiz porque na net não existem legendas do filme disponiveis em idioma algum!

Roberto Acioli disse...

Infelizmente, Vladermir, Cronaca Familiar não consta da lista de próximos lançamentos do Zurlini pela Versátil.

Tenho a impressão de que toda a obra do Zurlini foi lançada em Portugal, o que significa que, em algum lugar no ciberespaço, pode existir uma legenda em português.

Vamos rezar :)

Sergio Andrade disse...

Está muito caro mesmo, Ronald!

Sem problemas, Adilson :)

Cronaca Familiare é o único filme do Zurlini que não gosto. Sempre me dá sono hehehe! Mas devo estar sozinho nessa.

Se foi lançado em Portugal então logo vão aparecer as legendas, Roberto.

Abraços!

Ralph disse...

I recently came across your blog and have been reading along. I thought I would leave my first comment. I don't know what to say except that I have enjoyed reading. Nice blog. I will keep visiting this blog very often.


Ruth

http://systemmemory.info

Ralph disse...

I recently came across your blog and have been reading along. I thought I would leave my first comment. I don't know what to say except that I have enjoyed reading. Nice blog. I will keep visiting this blog very often.


Ruth

http://systemmemory.info

Pesquisa do Blog