05/07/2007

ELE ESTARIA FAZENDO 79 ANOS HOJE - Aqui num dos seus maiores momentos

10 comentários:

Eduardo Aguilar disse...

Fala Sérgio!!! Peckinpah é sp. magistral!!! mas confesso q. não estou entre aqueles q. idolatram "Alfredo Garcia", aliás, 02 amigos já me presentearam com cópia do dito cujo, o q. faz pressupor q. seja um consenso entre os fãs de Pechinpah, eu evidentemente admiro o filme, mas o título q. me faz ficar de joelhos é "Pat Garret..." q. por sinal tem o trailer entre os links associados a cena q. vc. postou.

Vale a pena conferir o trailer dessa obra-prima! Faroeste com fotografia escura, algo raro até então! 02 pop stars (Bod Dylan e Rita Coolidge - q. mulher linda!), uma atuação inesquecível de James Corbun, e Katy Jurado num dos maiores momentos da história do cinema, uma seq. antológica, qdo é tocada a música clássica de Dylan q. depois seria regravada (me fugiu o nome).

Vale dizer, o 'quase' final qdo Pat e Kid se confrontam, o tiro visto pelo espelho, Pat protegendo o corpo de Billy. Isto é cinema!!!

sergio disse...

Oi, Edú! Estou surpreso em saber que um fã do Peckinpah como você não idolatra "Alfredo Garcia". Se fosse apenas pela maravilhosa interpretação do Warren Oates (na verdade o homenageado pelo post) o filme já estaria entre os maiores produzidos pelo cinema americano nos anos 70. As seqüências no carro, onde ele "dialoga" com a cabeça são inesquecíveis. E seu gradativo mergulho na esquizofrenia daquela situação é algo que poucos atores no mundo seriam capazes de transmitir. O cara foi um dos maiores (e pouco reconhecido) gênios da profissão de ator.

Mas tem a direção do Peckimpah, seu incrível senso de edição, sua capacidade de misturar cenas bizarras com outras que são pura sensibilidade. E tem cenas antológicas como o estupro praticamente consentido por Isela Vega e o final com a arma disparando em direção ao espectador, cena aliás que nosso grande Candeias emulou em "O Vigilante".

Mas claro que concordo com tudo que você disse sobre "Pat Garret...", também um dos meus preferidos do homem. Essa cena que vc está se referindo com a Katy Jurado é aquela em que ela assiste a morte do marido? Acho aquela cena do caralho!!! Com certeza, uma obra-prima.

Viva Peckimpah! E viva Warren Oates!!!

Graciele disse...

Sergio, acho que vc vai gostar:
http://parisagogo.blogspot.com/2007/07/um-homem-uma-chama.html#links

sergio disse...

Graciele, muito interessante a entrevista. Isso me lembrou que preciso incluir o blog da sua amiga nos links ai ao lado.

Graciele disse...

Sergio querido, não esqueci seu vídeo não, viu? É que a cópia não estava das melhores, e eu baixei de novo e estou gravando em novo cd. Mando na próxima semana.
Te mandei a entrevista porque lembrei demais de vc e da galera da Zingu, eu sempre mando para ela matérias da Zingu tb, ela gostou muito da do Carlos Imperial..(Tá vendo? Vcs estão internacionais!:)Um beijo!

sergio disse...

Sem problemas, Graciele.
E obrigado por difundir a Zingu! internacionalmente. Com sua ajuda logo estaremos desbancando a Cahiers du Cinema e a Positif! hehehe!

Ronald Perrone disse...

Nossa! como foi bom rever essa cena! Esse é o filme do Peckinpah que eu mais gosto e o Oates está perfeito! Uma beleza de filme.
Abraços!

sergio disse...

Fala, Ronald!
É um filme maravilhoso, mesmo. E o Oates arrasa.
Abraço!

Eduardo Aguilar disse...

Fala Sergio! O q. realmente sinto falta em "Alfredo Garcia" é o tema mais recorrente da obra de Peckinpah: a amizade masculina - e quase sp. com os personagens em lados opostos da lei!

O olhar de Sam sobre esse tema sp. me impressionou, por isso, tb. não sou um fã exarcebado de "Sob o Domínio do Mêdo", mas q. fique claro, adoro esses 2 filmes, mas dentre aqueles q. exploram o homem solitário, taciturno, meu preferido é "Os Implacáveis". Tenho prá mim que nem Coburn (presente em 02 obras-primas de Sam), nem Kris, nem Oates, mas McQueen é o ator mais emblemático do cinema peckinpahniano!

sergio disse...

Edú, desculpe-me discordar de você novamente, mas aqui também existe uma amizade masculina, entre o personagem do Oates e a cabeça do Alfredo Garcia hehehe!

E claro que é algo a se discutir, mas com certeza o McQueen é uma das mais perfeitas representações do universo do Peckinpah. E Os Implacaveis conta com uma das interpretações mais insanas já vistas num filme, a de Al Lettieri!

Aproveito o comment pra te desejar Feliz Aniversário! Parabéns, Edú!

Pesquisa do Blog